sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Um Deus para ateus

Em minha vida tenho encontrado muitos ateus. De vários, me fiz amigo. Quase sempre concordo com eles, pois negam um Deus que eu também negaria porque não tem grandeza e nem está à altura da busca humana. Por causa deles escrevi um livrinho que, pessoalmente, considero a melhor coisa que já perpetrei na minha atribulada existência de teólogo: "Experimentar Deus: a transparência de todas as coisas". Nele, tento deconstruir a categoria ‘Deus’ e depois reconstrui-la a partir daquelas experiências que permitem falar, humana e emocionalmente, de um Deus que vale a pena e faz sentido.

Mas há uma pré-condição importante: estar atento a alguns sinais, uma vez que, em muitas oportunidades, Deus não se apresenta com o formalismo com o qual O concebemos. Sobre isso, deixo que um indígena Cherokee fale por mim.

"Deus, fale comigo!
E um rouxinol começou a trinar.
Mas o homem não prestou atenção e voltou a pedir:
Deus, fale comigo!
E um trovão reboou pelo espaço.
Mas o homem não deu importância.
Solicitou novamente:
Deus, deixe-me vê-lo!
E uma enorme lua brilhou no céu profundo.
Mas o homem nem reparou.
Nervoso, começou a gritar:
Deus, mostre-me um milagre!
E eis que uma criança nasceu.
Mas o homem não se debruçou sobre ela
para admirar o milagre da vida.
Desesperado, voltou a gritar:
Deus, se você existe, me toque
e me deixe sentir sua presença, aqui e agora.
E uma borboleta pousou, suavemente, em seu ombro.
Mas ele, irritado, a afastou com a mão.
Finalmente, desiludido e entre lágrimas, continuou seu caminho.
Vagueando sem rumo. Sem nada mais perguntar.
Inteiramente só e consumido pelo medo".

Extraído de um texto de Leonardo Boff

4 comentários:

Elaine Cândida disse...

Ah...

Há muito tempo eu conheci essa ilustração. Muito legaus...

Mas vou deixar mais uma aqui pra você (e para os visitantes) se divertirem...


Um ateu estava passeando em um bosque, admirando tudo o que aquele "acidente da evolução" havia criado. "Mas que árvores majestosas! Que poderosos rios! Que belos animais!", lá ia ele dizendo consigo próprio.

À medida que caminhava, ao longo do rio, ouvia um ruído nos arbustos atrás de si. Ele virou para olhar e viu um corpulento urso-pardo caminhando na sua direção. Ele disparou a correr o mais rápido que podia. Olhando, por cima do ombro, reparou que o urso estava demasiado próximo e aumentou mais a velocidade.

Olhou, de novo, por cima do ombro, e, desta vez, o urso estava mais perto ainda. O seu coração batia freneticamente. Ao tentar imprimir maior velocidade, tropeçou e caiu desamparado. Rolou no chão rapidamente e tentou levantar-se. Só que o urso já estava em cima dele, ameaçando pegá-lo com a sua forte pata esquerda e, com a outra pata, tentando agredi-lo ferozmente. Nesse preciso momento, o ateu clamou:

- "Oh meu Deus!".

O tempo parou. O urso ficou sem reação. O bosque mergulhou em silêncio. Até o rio parou de correr. À medida que uma luz clara brilhava, uma voz vinda do céu disse:

- "Tu negaste a minha existência durante todos estes anos, ensinaste a outros que eu não existia e reduziste a criação a um acidente cósmico. Esperas que eu te ajude a sair desse apuro ? Devo esperar que tenhas fé em mim ?"

O ateu olhou diretamente para a luz e disse:

- "Seria hipócrita da minha parte pedir que, de repente, me passes a tratar como um cristão... mas, talvez, possas tornar o urso um cristão?!"

- "Muito bem.", disse a voz.

A luz foi embora, o rio voltou a correr e os sons da floresta voltaram. E, então, o urso recolheu as patas, fez uma pausa, abaixou a cabeça e falou pausadamente:

- "Senhor, abençoe este alimento que agora vou comer. Amém".

Gil Costa disse...

Muito bom! Deu vontade de ler o seu livro...

Abraço.

amigodcristo disse...

Olá Alex, graça e paz seja contigo!
Meu irmão venho fazer um convite, a ter sua preciosa opinião em uma temática
Que vem se alastrando em uma forma de câncer, dentro de um conceito malicioso,
E maligno dentro da blogsphera Cristã nacional, que tem um tema Irmão falando mal de Irmão, gostaria muito de ter sua opinião ou até mesmo sua critica após a leitura do texto no blog Amigo de Cristo.
Graça e paz sejam contigo e família.
Cordialmente Amigo de Cristo.

Alex Malta Raposo disse...

Gente, obrigado pelas visitas e pelos comentários. Forte abraço e que o Pai eterno continue lhes abençoando.