sexta-feira, 5 de março de 2010

Desserviço bíblico

Assisti pelo Youtube à atuação do Pr. Silas Malafaia no programa do Ratinho recentemente. Como ele mesmo confessou, seu estilo é bem parecido com o do apresentador. Poderíamos até dizer que Silas é uma espécie de Ratinho Gospel. Não tem papa na língua e gosta de ver o circo pegar fogo. O que achei? Sinceramente? Um desserviço à causa.

Primeiro: ali não era o lugar para se debater com seriedade um assunto tão complexo. A produção do Ratinho certamente escolheu Silas por saber de seu temperamento, ingrediente indispensável para um circo de horrores como o promovido pelo programa. Achei-o deselegante com sua oponente. Já tive a oportunidade de debater com ele várias vezes em duas emissoras no Rio de Janeiro. Ele não consegue se calar nem no intervalo. Sua fama foi construída em cima disso. Apesar de polêmico (mais por seu temperamento do que por suas posições), Silas é extremamente conservador, e não consegue manter um diálogo em alto nível. Mas infelizmente é isso que o povão gosta.

Não consigo imaginar Jesus Se prestando a um papel desses. Jesus nunca bateu boca com ninguém. E Ele jamais participaria de uma campanha contra o direito de quem quer que fosse. O tipo de posicionamento defendido por Silas só faz aumentar o abismo entre a igreja evangélica e os homossexuais. Que vantagem há nisso? Como poderemos evangelizar um grupo contra o qual nos manifestamos? Em vez disso, deveríamos estar defendendo seus direitos, angariando sua simpatia e confiança, e assim, revelando-lhes o amor transformador do nosso Deus. Sem imposições, sem histeria, sem mania de perseguição, mas com mãos estendidas em vez de dedo à riste.

Quem, afinal, teria ganho aquele debate? É claro que a maioria do povo evangélico vai dizer que foi Slias. Mas sabe quem perdeu? Todos nós. Silas tornou-se numa referência caricata da igreja brasileira. E o pior de tudo é que por trás de toda esta vociferação contra a PL 122 há uma não confessável intenção política. Os políticos evangélicos (que até agora não mostraram a que vieram!) precisam garantir a próxima eleição. Nada melhor do que tocar terror no povo, usando o tal projeto de lei como o carro abre-alas.

Essa estória de que as igrejas serão obrigadas a casar gays é conversa fiada. O mesmo projeto de lei é contrário a qualquer tipo de discriminação religiosa. Pode-se "condenar" a pobreza sem com isso discriminar o pobre. Pode-se "condenar" o alcoolismo sem discriminar o alcoólico. O mesmo se aplica aos homossexuais. Se um determinado credo reprova o comportamento homossexual, não quer dizer que seus seguidores discriminem homossexuais.

Que vergonha... deveríamos estar do lado deles, condenando a homofobia, e assim, escancarando a porta para que tivéssemos acesso aos seus corações. Em vez disso, colocamo-nos ao lado de seus algozes. A igreja cristã que produziu homens como Martin Luther King, Jr. que defendeu com o preço de sua própria vida os direitos civis, agora produz homens intolerantes que almejam, em nome de um projeto político, conduzir a igreja de volta à idade das trevas. Foi este tipo de posicionamento intolerante que provocou a morte das bruxas de Salém, a Inquisição, o Apartheid.

Infelizmente, nosso povo tem memória curta. Semanas atrás, todos repudiavam a teologia da prosperidade pregada por Silas ao lado de seu mentor Morris Cerullo. Agora, por uma causa com motivações duvidosas, Silas voltou a ser quase unanimidade entre os evangélicos. Espero que o povo de bom-senso acorde para isso, reveja seus conceitos, e se posicione contrário a qualquer tipo de manipulação. Hermes Fernandes. Título original: Opinião: Silas x Homossexuais no programa do Ratinho.

5 comentários:

Bianca disse...

Ô Alex.. é que na realidade muitos "cristãos" (ao menos q se dizem) preferem ver o Silas recriminando os homossexuais do que amando-os..

É mais fácil condenar o pecado do outro do que olhar o cisco que está no nosso próprio olho, né?! Infelizmente mtos acreditam q sim.. vai saber!

Aí me chega o Sr. Silas na televisão e desce o porrete nos homossexuais. Pronto! Fica ainda mais difícil mostrar à eles o amor do Pai.

Com toda a certeza a atitude do Sr. Silas foi um desserviço. Aquele q nao ajunta espalha.. espero q ele tenha tempo de entender isso.. pelo menos oremos para q sim..

Abraços... acho q tinha vindo aki no seu blog apenas um vez.. gostei!!
=)

Marcello di Paola disse...

Prezado Alex...

Bela reflexão essa sua sobre o ícone gospel do momento. Vozes como a sua precisam ecoar pelos rincões desse país mal convertido.
Concordo em número, gênero e grau com suas posições no tocante a figura bizarra em questão.

Parabens pelo blog que passo a seguir com imewnso prazer.

Com sua licença, estou colocando seu texto no fórum de mina comunidade no orkut - 1ª Igreja Evangélica Orkutiana.

Forte abraço.

Arnaldo disse...

Assisti o vídeo.

Silas, pelo que sabemos de seu ímpeto, realmente não é a melhor pessoa para estar abordando essa questão.

Bem uma coisa é discutir o Silas
outra é discutir a lei.

Essa lei é perigosa, constititucionalmente falando.

Notei que, talvez, o autor do artigo não se atentou para isso e apresentou um discurso pouco eficiente à causa. Talvez, repito, talvez, o autor nem conheça muito bem o amâgo dessa lei e o que aporta.

Venho acompanhando-a e digo que ela é um perigo não só para os cristãos, mas para toda a sociedade.

Em absoluto, pessoa alguma, deve ser atacada. Se minha crença condena ou não atos tais, tenho que, em qualquer instância, respeitar a pessoa, seja quem for.

Jesus ensinou a ser contra o pecado e não contra o pecador, disso jamais podemos esquecer e não tenhamos disso dúvidas. Porém, o núcleo (oculto) dessa questão proibe o homem ser contra o pecado.

Esse assunto (lei) tem que ser tratado com as devidas forças, não só dos religiosos, mas institucionalmente.

Caso alguém não esteja fazendo de forma certa, que seja outro que vai lá e faça melhor. Tem muitas pessoas fazendo melhor que o Silas concomitatemente, mas não vejo ninguém dando apoio de forma pública a esses.

Não é hora de ficar com um pé num discurso politicamente correto, mas essêncialmente neutro.

Não é hora de crente "brigar" com crente, a propósito, nunca deverá existir essa hora. Cristo quer unidade, não uniformidade.

Por outro lado, tem muito crente que tem fugido de abordar essa questão, estão mornos.

O Silas foi mal? Foi sim! Mas criar um artigo da forma como foi feito pra critica-lo, sinceramente não gostei ( e como aqui me deram um espaço para opinar, o faço mui honestamente e sem qualquer intenção de ofender).

O que essa lei traz "de tabela" deveria ser melhor divulgada.

É hora de cristãos, menos falhos e mais falhos, estarmos junto contra esse projeto, pois, se aprovado, será um grande instrumento usado contra o cristão, sobretudo.

Fiquem com Deus.

Arnaldo

Alex Malta Raposo disse...

Meu querido Arnaldo,

Em primeiro lugar, quero agradecer a postagem do seu comentário neste humilde espaço. Intuitivamente, quando pensei na possibilidade de criar este blog, desejei isso mesmo: interatividade. É a troca de idéias, desde que concebida de forma educada, que nos permite corroborar posições, avaliar caminhos e, quem sabe até, reformular conceitos.

Há alguns meses atrás, exatamente por não concordar com o bate-boca que vem caracterizando muitos blogs, púlpitos e programas de televisão, decidi não postar mais vídeos ou artigos que ataquem diretamente quem quer que seja. Se esse ou aquele pastor resolveu trilhar um caminho equivocado, como bem diz a Bíblia, com certeza, ele irá prestar contas a Deus.

O que priorizo aqui é o combate a idéias, mensagens e projetos flagrantemente contrários à Palavra de Deus. Ainda assim, é bom ressaltar, tento fazer isso através da reafirmação do Evangelho. Ou seja, se o sujeito diz que as verdades de Deus são relativas, não ‘gasto’ o meu tempo para criticá-lo, mas, sim, para reafirmar que as verdades de Deus são absolutas.

Agora, meu caro Arnaldo, que unidade posso ter eu com uma pessoa que há pouquíssimo tempo atrás dizia que o ‘branco’ era ‘branco’ e agora, sabe-se lá porque, passou a dizer que o ‘branco’ é ‘preto’? Quem acompanhava o pastor Silas Malafaia, como eu acompanhei durante muitos anos, sabe do que estou falando. Não fui eu que mudei. Foi ele. O mesmo homem que pregava que “quem espera em Cristo nesta vida é o mais miserável dos homens” é o mesmo que diz que “quem dizima ou oferta por amor a Deus não passa de um trouxa”. Na atual visão dele, se você contribui com o Reino de Deus você tem o direito de ser abençoado, inclusive com o recebimento de bens materiais.

Onde é que está escrito isso na Bíblia?

Mesmo assim, prezado Arnaldo, recebo a sua palavra como algo vindo diretamente de Deus. Que o Pai continue lhe abençoando e a toda a sua família. Forte abraço.

Guiomar Barba disse...

O que mais me dói é que enquanto ele condenava com veemência os homossexuais, sei que como eu, muitos lembravam do seu mercenarismo, uma hipocrisia sem fronteiras.

No próximo sabado, dia vinte, vou entrar no lugar da mãe(falecida) de um ex-travesti levando-o ao altar para o casamento com uma bela jovem. Que emoção...
Abraços.