sábado, 10 de outubro de 2009

A Cabana e a Trindade

Neste vídeo, Mark Driscoll discorre sobre alguns equívocos bíblicos presentes em "A Cabana", best-seller do escritor Willian P. Young. Na obra, um homem, marcado pela culpa e pela perda de uma de suas filhas, recebe um bilhete aparentemente escrito por Deus.

5 comentários:

Kaline disse...

Fiquei curiosa meu irmão, vi o vídeo de Caio Fábio na sua página, gostaria de saber o que você sabe sobre ele, não sei, tenho dúvidas sobre ele, o que você pensa sobre? meu e-mail é kaline-lessa@click21.com.br, desde já, obrigada. meu blog é kalinelessaferro.blogspot.com

Alex Malta Raposo disse...

Kaline,

Obrigado pela visita ao Evangelho da Graça.

Que o Senhor Jesus prossiga te abençoando.

Com relação ao Caio, entendo a coisa da seguinte forma: sanguíneo como ele é (pelo menos se mostra assim), suas colocações são feitas sempre de forma visceral, contundente, apaixonada. Acho que isso, de certa forma, acaba assustando algumas pessoas.

Desnecessário lembrar que não podemos nos reportar aos equivocos do passado. Quem não tem pecados? Quem de nós jamais cometeu equívocos? Os heróis da Bíblia já o fizeram...

Trocando em miúdos, o que acaba prevalecendo são as idéias, a visão e a interpretação das Escrituras. O jeito, digamos, exagerado do Caio Fábio não traz nenhum problema para quem ouve suas reflexões e lê seus textos.

Agora, se algum dia eu passar a ouvir do Caio coisas que vão de encontro ao Evangelho do Senhor Jesus, não tenha dúvida: não só tirarei o player do meu blog como deixarei também de ler e ouvir qualquer coisa que venha dele.

Por hora, querida, tenho sido muito abençoado com a imensa maioria das coisas ditas e escritas por aquele homem acerca do Evangelho, da vida cristã e da igreja hodierna.

Robson Silva de Sousa disse...

Paz amigo, estou retribuindo a gentileza e já estou seguindo Evangelho da Graça...

Breve tomarei um tempinho para ler melhor os artigos anteriores...

Abraço!

Robson

Sammis Reachers disse...

Ola amigo, parabens por este blog rico em edificaçao. E obrigado pela visita no Cidadania.
Caso queira trocar links, estamos a disposiçao. E caso possua textos afeitos a tematica do blog, pode me enviar que publico.

Deus lhe abençoe meu amado!

Um abraço do irmao Sammis

Jeanne Ralile disse...

Confesso que, movida por uma enorme expectativa depois de tanta propaganda, comprei o livro e... confesso que não gostei desde o início, tanto de demorei um tempão para terminá-lo. Além da narrativa entediante achei o conteúdo fraco, superficial, cheio de lugar comum, sem nada que me edificasse. Achei também a forma do autor retratar Deus meio desrespeitoso e irreverente e isso me incomodou bastante.

Por outro lado achei exagerado a censura feita pelo Mark. Não vi nada de herético no livro. Blasfêmico, talvez, mas herético não.