segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Dízimos e ofertas

Antes de qualquer coisa, faço questão de reafirmar minha crença na origem bíblica do dízimo. Dízimo que, na verdade, representa o mínimo que um coração grato a Deus é capaz devolver para auxiliar a manutenção de Sua obra. Em Atos dos Apóstolos, observamos facilmente que as pessoas não repartiam o que possuíam apenas para sobreviverem, mas, acima de tudo, para manterem-se vivas e, com isso, poderem proclamar o Evangelho de Cristo. Gosto dessa reflexão do Rev. Caio Fábio porque ele, com base nas Escrituras, amplia o conceito de “dízimos e ofertas”. Para além dos tradicionais 10%, ele nos conclama a irmos mais longe, alimentando uma caminhada caracterizada pela generosidade, pelo desapego financeiro e, sobretudo, pelo amor ao próximo. A seguir, as três partes da bela reflexão de Caio.

5 comentários:

Alda Lorenn disse...

Olá irmão Alex
Muito bom e informativo seu blog.
Continue sempre fazendo a vontade de Deus.
Boa a dica de Caio Fábio
Paz!

Alex Malta Raposo disse...

Querida irmã,

Obrigado pela visita.

Que o Senhor Deus prossiga abençoando a sua caminhada e fazendo prosperar os seus caminhos.

Maria Tereza disse...

Querido irmão,

Não concordo muito com a visão de Caio Fábio sobre este assunto. Aliás, não concordo com quase nada que ele diz ou escreve. Sinto nas falas e nos textos dele sempre um ar debochado, enraivecido e descompromissado. Dízimo é, acima de tudo, compromisso, fidelidade. O discurso dele segue quase a linha católica, que propugna 'dar a Deus aquele dinheirinho que não fará falta'. Definitivamente, não é por aí. Já visitei seu blog, Alex, várias vezes. Gosto dos textos e da maioria dos vídeos. Mas não entendo quando vc posta um vídeo como esse, repleto de rancor, ressentimento e amargura. O único senão do seu blog é exatamente essa TV, onde ele passa o dia inteiro dizendo um monte de besteira, emoldurada por uma filosofia baratíssima. No fundo, ele precisa é ser tratado.

Alex Malta Raposo disse...

Querida irmã,

Desde a criação deste espaço, sempre defendi a liberdade de expressão. Só não postarei comentários que, obviamente, forem ofensivos. Não sendo assim, estará sempre assegurada a opinião dos leitores que desejarem se manifestar. Entendo que, na verdade,Caio amplia o conceito de dízimo e oferta, tornando, inclusive, em função da nossa miserabilidade humana, muito mais difícil honrá-los. O que é mais fácil? devolver apenas 10% do que ganhamos ou alimentar um coração capaz de abençoar financeiramente pessoas e projetos sem levar em consideração o valor nominal de suas ofertas? Mesmo sem concordar com sua opinião, fico extremamente feliz com a sua visita. O debate, como colocado recentemente por mim, nos faz crescer e evoluir.

Forte abraço!

Guiomar Barba disse...

Paz amado,

Gostaria que você lesse nossa postagem sobre dízimo de 06/fev/2009
OS DÍZIMOS E OFERTAS NÃO DEVERIAM CAIR NAS MÃOS DE MERCENÁRIOS.
Abraço.