terça-feira, 27 de outubro de 2009

Subversão, sim; contenda, jamais.

Em qualquer área do conhecimento humano, seja ele político, sociológico, econômico ou filosófico, o debate franco, aberto e generoso continua sendo o melhor caminho para aperfeiçoarmos os nossos instrumentos de atuação, melhorando, com isso, o resultado global dos processos dialéticos contemporâneos. Não podemos esquecer que é, majoritariamente, pela contraposição de idéias que chegamos a conceitos inovadores e, consequentemente, a construções abstratas capazes de modificar, revigorar e depurar o pensamento coletivo.

Penso que, no campo teológico, a coisa não se dá de forma diferente. Desde que estimulados pelas motivações corretas, nós, que fazemos parte dessa imensa massa de articulistas cristãos, podemos e devemos discutir, sempre com urbanidade, elevação intelectual e sob a orientação do Espírito Santo de Deus, os principais dramas, questões e problemas ligados à igreja hodierna.

Todavia, fica difícil entender, digerir e aceitar quando esse debate – absolutamente legítimo e necessário – ganha ares de contenda, de rivalidade, de exibicionismos e, porque não dizer, de um abjeto e inaceitável arrivismo espiritual.

De minha parte, posso afirmar, diante de Deus e dos homens, que não criei esse blog para que minhas idéias sejam absorvidas, para que meus pontos de vista saiam vencedores ou, tampouco, para divulgar e cultuar minha personalidade.

Internalizar essas excrescências seria pior do que trilhar o caminho oposto e criticado pelos subversivos; pelo menos, os que estão do lado de lá o fazem com firmeza, coerência e, em muitas oportunidades, de forma transparente.

Se as pessoas que trabalham na chamada ‘Subversão do Reino’ não perceberem que, tão importante quanto denunciar os equívocos é reafirmar as posições cristãs corretas, com certeza, passarão a correr o risco de se tornarem tão contrários, hostis e virulentos ao Evangelho de Cristo quanto o mais pernicioso mensageiro das heresias atualmente pregadas nos púlpitos.

Não estamos aqui para transformar a blogosfera cristã em um palanque de ofensas, antagonismos e disputas pessoais, mas, sim, para defender a integridade do Evangelho do Senhor Jesus, que, queiram ou não, está acima de tudo isso.

6 comentários:

Francisco jr disse...

Irmão,

Concordo inteiramente...como disse Martin Luther King, logo após a morte de Malcom X "é muito triste a incapacidade do homem de discordar sem ser violento"
...por concordar já estou seguindo!

abraço

Fabinho Silva disse...

Grande Alex, to passando aqui pra devolver a gentileza da sua visita ao meu blog e pra incentivar que vc meta a boca no trombone sim... :) - subversivamente...
Grande abraço e fica na paz!

Valéria Braidotti disse...

Gostei muito de conhecer seu blog.

Gostaria que visitasse o meu blog. Tem um convite lá para você.

Beijo e que o Senhor a abençoe poderosamente.

Marcos Wandré disse...

Graça e Paz, Alex


O debate é sempre bem-vindo. A troca de idéias, a confrontação são necessárias na construção de uma sociedade melhor. Entretanto, o respeito, a temperança, a educação, a tolerância e sabedoria devem permear estes eventos. O Evangelho de Cristo, como você bem disse, está acima de tudo. Que os blogueiros cristãos possam ter os valores do Evangelho no coração ao iniciar um debate.

Parabéns pela postagem! Um abração!

pastor guedes disse...

Prezado Alex,

Parabéns pelo conteúdo de seu blog.

Agradeço pela visita no pastorguedes.blogspot.com e certamente visitarei mais vezes seus posts.

Forte abraço.

Alex Malta Raposo disse...

Obrigado, Pastor Guedes, pela reciprocidade da visita.

Que o Senhor Deus continue abençoando a sua vida, sua família e o seu ministério.